A Mochila Maluca
  • Diário de Bordo
  • Kili Chronicles
  • A Mochila Maluca
  • Mais Aventura
  • Os Cinco Lugares
    Eduardo Valente, dezembro de 2005
    Cada um tem seu projeto. Cada um tem sua meta. A minha, falando como viajante, é conhecer cinco lugares que eu escolhi no mundo.

    Por que cinco? Acho um número bonito. Por que estes lugares em especial? Não sei... Acho que porque são lugares que mereçam serem conhecidos...

    Em qualquer área, é bom a gente colocar metas, por mais simples ou mais difíceis que sejam. Não adianta ficar só nas fáceis, porque chega uma hora que a gente desanima, como desanima se colocar somente metas inatingíveis.

    Pois bem! Escolhi cinco lugares no mundo para conhecer e na ordem correta (para mim ): Bonito, Machu Picchu, Caminho de Santiago, Monte Kilimanjaro e Antártica.

    Vou justificar cada um deles, se bem que não acho sejam lugares que precisem de justificativa, ok?

     

    Bonito, um paraíso brasileiro localizado no Mato Grosso do Sul. Quem já foi, sabe do que estou falando... Nem a magnitude de Fernando de Noronha consegue aquele ar de descoberta de um paraíso (quase) intocado que Bonito é. Vocês podem ver nos meus diários de bordo que não me arrependi. Escolhi Bonito porque queria que um dos Cinco Lugares fosse no Brasil. E só um, que este mundão é grande demais prá um país só!

    Machu Picchu, a cidade perdida dos incas, no Peru. Não é propriamente a cidade perdida, mas a imersão em uma cultura tão diferente da nossa e ainda assim, tão familiar. É andar no passado, durante três ou quatro dias, por entre os Andes, sofrendo com o ar rarefeito e o frio. É navegar no Titicaca e ficar queimado de sol a quatro mil metros de altidude. É tomar chá de coca ( "la hoja de coca no es droga!" ) num hotel em La Paz. É Cuzco, a cidade que todos querem tornar a ver. Machu Picchu se torna uma simples desculpa para se conhecer todo um mundo, quando nos dispomos a trilhar a rota inca.

    Caminho de Santiago, na Espanha. Não sou católico, mas o Caminho, com Cê maiúsculo, é uma experiência inesquecível, tanto pela preparação que exige, como pelo cotidiano do trajeto, onde você consegue sentir como se sempre estivesse fazendo aquilo. É tal a carga histórica, cheia de castelos e lendas, que se torna uma viagem tanto física como mental, e você se pega a colecionar lendas e misturá-las com fatos. Se você deseja uma viagem pessoal, esta é a mais perfeita que irá encontrar.

    Monte Kilimanjaro, na Tanzânia, África. Meu cachorro chama Kili, por causa do monte. Ahn... o monte veio primeiro! Eu queria na minha lista um dos Sete Cumes e queria ir para a África... Então, a escolha foi um tanto óbvia. Trata-se do ponto mais alto da África e, cercado de lendas, foi imortalizado com o livro de Hemingway: "As Neves do Kilimanjaro". Precisamos ir logo, se quisermos acreditar na ecoimprensa, porque parece que mais uns dias e não tem mais neve por lá, hehehe.

    Antártica. Acho que para fechar os meus cinco lugares, teria que ser especial. Pensei em mergulho na grande barreira de recifes, na Austrália, pensei no Alaska, para ver a aurora boreal, pensei na Patagônia, pensei em fazer uma volta por toda a Espanha, de carro. Quero fazer todas estas coisas, mas o continente branco sobrepuja tudo que se pode imaginar como aventura. Terra de Amundsens, de Shackletons, de Scotts e, claro, de AmykKlinks, é ainda hoje, para nós simples humanos, a última fronteira.

     

    Fica aí a idéia. Escolha seus lugares e planeje sem pressa. Pode ser cinco, pode ser mais ou pode ser um só. Como diria a canção escoteira: "Vale a pena ter na vida um ideal e por ele lutar e morrer".

     

    Até a próxima!

    Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.