O Contador de Estórias
  • Boca Santa
  • Quarta IPI Sorocaba
  • O Contador de Estórias
  • Um Dedo de Prosa
  • Mais de Cristo
  • A História de Gideão
    Eduardo Valente
    Gideão [Juízes 6 a 8]

    Era uma vez, um tempo em que homens chamados juízes guiavam o Povo de Deus. Este povo, por fazer o que era mal para o Senhor, foi entregue na mão dos midianitas.

    Durante sete anos, foi aquele tormento: toda vez que os israelitas plantavam, vinham os midianitas e destruíam tudo. E Israel clamava a Deus, porque estavam passando muita, muita fome...

    Então o Anjo do Senhor veio e se sentou debaixo de uma árvore e perto dele estava malhando o trigo Gideão, filho de Joás. O Anjo do Senhor disse: O Senhor é contigo, homem valente!

    Gideão parou um pouquinho e já reclamou: se o Senhor é conosco, por que estamos sofrendo tanto?

    "Mas sou Eu que estou te enviando!", disse Deus e Gideão mais que depressa: "mas eu sou da família mais pobre daqui e eu o mais fraquinho dos meus irmãos..."

    Deus falou prá Gideão que ele mandaria os midianitas embora e usaria Gideão para isto. Mas tinha uma missão antes disso para ele...

    "Pega o altar de Baal, aquele deus fajuto, e destrói. Usa o poste-ídolo de lenha e queime tudo! Sacrifica um boi prá mim e constrói neste mesmo lugar um altar!"

    Gideão foi e fez tudo isto, mas como estava com medo do que os outros fariam, fez tudo de noite.

    No outro dia, vendo o estrago, os homens foram brigar com Gideão, mas Joás, seu pai, disse a todos que se Baal não for um deus tão fajuto, vai ele mesmo brigar com Gideão, não precisa de outros para ajudar...

    Desde aquele dia, Gideão ganhou o apelido de Jerubaal, que significa "o que brigou com Baal". E Deus estava do lado de Gideão.

    Mas Gideão estava com medo e fez um teste com Deus. Colocou um tapete de lã na frente de sua porta e disse prá Deus: "se você quiser que seja eu quem vá lutar, então que amanhã cedo toda a grama esteja seca e só tenha sereno no tapete". E no outro dia de manhã, quando Gideão espremeu o tapete, tinha mais de um copo de sereno no tapete e a grama em volta estava sequinha!

    Gideão não se deu por vencido: "Não fique bravo comigo, mas vamos fazer o contrário: a lã fica seca e a grama molhada!" E assim estavam a lã e a grama na manhã seguinte.

    Gideão, convencido de que Deus estava com ele mesmo, convocou todas as pessoas de seu povo e juntaram quase 33.000 ! Deus, que sabe tudo, escutou o pensamento baixinho que Gideão teve, e falou:

    "Tem muita gente aí... Se vocês forem assim, vão achar que não precisaram de mim para livrá-los. Mande embora aqueles que eu ordenar..."

    E Gideão dispensou todos que estivessem com medo ou sem vontade de lutar. E vinte e dois mil foram embora...

    Deus ainda achava que tinha muita gente e levou todos ao rio e pediu para fazê-los beber água. Disse a Gideão que somente os que pegasse a água com as mão e assim bebessem seriam escolhidos. Os outros poderiam ir embora. Qual não foi a decepção de Gideão ao ver que só sobraram trezentos homens contra o imenso exército dos midianitas.

    Deus falou que com aqueles trezentos, acabaria com todos os midianitas. Fez Gideão dar a cada soldado uma trombeta, um vaso de barro e uma tocha.

    E Gideão disse a seus homens: "Quando eu mandar, façam o que eu vou dizer: toquem as trombetas, quebrem os vasos e acendam as tochas, gritando - pelo Senhor e por Gideão!"

    Então, durante aquela noite, quando os midianitas acampados estavam dormindo, eles fizeram o que Gideão lhes dissera. Os midianitas acordaram tão assustados, mas tão asustados, que não sabiam que era amigo e quem era inimigo! Começaram a matar uns aos outros!

    Gideão então chamou as outras tribos de Israel e assim, Naftali, Aser, Manassés foram atacar o que restou dos midianitas e não os deixaram atravessar o rio Jordão.

    Correndo atrás dos midianitas, os homens de Gideão já estavam cansados e ele pediu para os homens de Sucote: "dêem pão prá gente, porque estamos com fome e cansados!" Mas em Sucote, ninguém deu pão nenhum...

    Bravo, Gideão avisou que ia destruir os midianitas e na volta ia machucá-los com muitos espinhos, para eles aprenderem!

    Passando por Penuel, pediu comida aos homens de lá e foi atendido da mesma maneira...

    "Pois quando a gente voltar, esta torre que vocês acham tão bonita, nós vamos destruir !"

    E Gideão acabou com o que restou do exército midianita e na volta, encheu de espinho os homens de Sucote e derrubou a torre de Penuel!

    Diante de tão grande vitória, os homens de Israel quiseram que Gideão fosse aclamado rei deles. Gideão, que era um homem de Deus e sabia o que Deus queria para seu povo, afirmou: "Quem manda em nós é somente Deus!"

    Gideão teve setenta filhos e morreu velhinho, e foi sepultado junto de seu pai, Joás.

    Nunca mais os midianitas incomodaram Israel! E durante quarenta anos não se ouviu falar de guerra com Israel...

    Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.