Prosa
  • Prosa
  • Verso
  • Contos
  • Textos
  • Cositas Más
  • Sugestões de Leitura
  • Amigos...
    Eduardo Valente, 04 de janeiro de 2005
    Amigos eu quero, não porque me aceitam incondicionalmente,
    Mas porque me conhecem
    E me avisam quando não estou sendo eu.

    Amigos eu preciso, não porque vão comigo prá onde der e vier,

    Mas porque sabem onde quero chegar

    E me alertam quando perco meu rumo.

    Amigos desejo, não porque a gente entre amigos fica mais forte,

    Mas porque meus amigos conhecem minha força

    E me apóiam quando fraquejo.

    Amigos eu gosto, não porque sempre riem das minhas piadas,

    Mas sempre choram comigo ,

    Quando a situação assim impõe.

    Amigos, enfim, procuro, que não sejam meus amigos por causa disto ou daquilo,

    Mas pelo simples fato de que

    Amizade é uma coisa danada de boa.

    E olhe que não sou amigo de dar trabalho,

    "Mesmo que o tempo e a distância digam não",

    Continuo teu amigo, porque um dia, se Deus quiser, a gente se vê

    E daí põe a conversa em dia e aprende novas fofocas

    Sobre amigos em comum.

    No final das contas, escrevo isto não para meus amigos,

    Presentes ou futuros,

    Mas para mim mesmo, porque se eu não sei o que esperar de um amigo

    Eu não mereço tê-lo...

    Aos meus amigos, que são assim, ou tentam ser

    Que meus votos de amizade se propaguem e se multipliquem

    Mesmo que nunca ditos em voz alta

    Mesmo que ainda nem ao menos sussurrados

    Porque amigo sabe que é

    Não precisa dizer.

    Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.